cartões

Explore as últimas tendências em pagamentos com cartão. Descubra como melhorar a experiência do cliente com transações sem contato.

Pagamentos

A evolução tecnológica no varejo tem transformado significativamente as interações e transações entre lojistas e clientes, sendo o uso de cartões virtuais em lojas físicas um dos avanços mais notáveis. 

Adotar o cartão virtual como método de pagamento é sinônimo de estar à frente no mercado, proporcionando uma opção de pagamento moderna e segura. Detalharemos os passos necessários para a implementação dessa tecnologia no ponto de venda, possibilitando que o estabelecimento atenda a uma clientela mais ampla e variada, alinhando-se às expectativas de um consumidor cada vez mais digital.

Do lado dos consumidores, utilizar o cartão virtual em compras físicas traz vantagens como a minimização de riscos de fraude e a facilidade de gestão financeira por meio de aplicativos móveis. 

Essa tecnologia oferece praticidade, segurança e agilidade para as transações, trazendo benefícios para ambos os lados do balcão.

Neste guia, vamos explicar como passar cartão virtual em sua loja física, aproveitando ao máximo essa tecnologia.

Você também pode se interessar: Como passar cartão pelo celular

Como usar cartão virtual em loja física

Como usar cartão virtual em maquininhas de cartão

O uso de cartões virtuais em maquininhas de cartão é um processo simples e rápido, que oferece uma alternativa segura e conveniente aos métodos tradicionais de pagamento. Para realizar um pagamento com um cartão virtual numa maquininha, siga os passos abaixo:

1. Verifique a compatibilidade da maquininha

Antes de tudo, certifique-se de que a maquininha aceita pagamentos por NFC (Near Field Communication), a tecnologia por trás das transações sem contato. A maioria das novas maquininhas já vem equipada com essa funcionalidade.

Veja O que é NFC

2. Instrua o cliente para preparar o cartão virtual

O cliente precisa saber que deve abrir o aplicativo bancário ou de carteira digital e selecionar o cartão virtual que deseja usar para o pagamento.

  • O cartão virtual é gerado pelo aplicativo do banco ou instituição financeira no smartphone do usuário. Ele contém todas as informações necessárias para a transação, como número do cartão, data de validade e CVV, mas de forma digital.
  • Com o cartão virtual selecionado no aplicativo, o próximo passo do cliente é ativar o pagamento por aproximação no smartphone. Isso geralmente é feito automaticamente ao acessar o cartão no aplicativo, mas pode variar conforme o dispositivo e o aplicativo utilizado.

3. Efetuando o pagamento

Para efetuar o pagamento, o cliente aproxima o smartphone da maquininha, assim como faria com um cartão físico em uma transação por aproximação. A maquininha detectará os dados do cartão virtual e processará o pagamento.

  • Aproxime o smartphone da maquininha, mantendo-o a alguns centímetros de distância. Não é necessário que o dispositivo toque a maquininha; apenas aproximar é suficiente para que a transação seja processada.
  • A maquininha detectará os dados do cartão virtual por meio da tecnologia NFC e iniciará o processamento da transação.

4. Aguarde a confirmação

  • Assim que a transação for aprovada, tanto você quanto o cliente receberão a confirmação do pagamento. No lado do cliente, a confirmação pode aparecer tanto no aplicativo do cartão virtual quanto em uma notificação no smartphone.
  • Em algumas maquininhas, pode ser necessário que o cliente digite a senha do cartão, mesmo em pagamentos por aproximação, dependendo do valor da transação.

Como usar cartão virtual para pagamentos no Tap to Pay

Para pagar com um cartão virtual usando a tecnologia Tap to Pay, inicialmente é necessário criar um cartão virtual por meio do aplicativo do seu banco ou provedor de cartão. 

Após ter seu cartão virtual, você precisa adicionar este cartão a uma carteira digital compatível, como Google Pay, Apple Wallet ou Samsung Pay. Isso é feito abrindo o aplicativo da carteira digital escolhida, selecionando a opção para adicionar um novo cartão e inserindo os detalhes do seu cartão virtual. 

Adicionando o cartão virtual a uma carteira digital:

  • Apple Pay:
  1. Abra o aplicativo Wallet no seu iPhone.
  2. Toque em + no canto superior direito.
  3. Selecione Cartão de Débito ou Crédito.
  4. Siga as instruções para adicionar seu cartão virtual.

Se você quer aceitar pagamentos por aproximação no Tap to Pay, sem precisar de maquininha, veja como é fácil: 

Use um aplicativo de pagamento compatível com Tap to Pay, como o app da InfinitePay:

  • Baixe o aplicativo InfinitePay na App Store.
  • Abra o aplicativo e crie uma conta.
  • Adicione seu cartão virtual ao aplicativo.
  • Para receber um pagamento, abra o aplicativo e toque em Receber.
  • Aproxime o iPhone do dispositivo do cliente.

Benefícios de usar cartão virtual em loja física

Utilizar cartões virtuais em lojas físicas traz uma série de vantagens tanto para os consumidores quanto para os varejistas. Este método de pagamento, que reflete a crescente preferência por soluções digitais e sem contato, oferece benefícios significativos em termos de segurança, conveniência e eficiência. Veja alguns dos principais benefícios:

  • Segurança reforçada: 

Como cada cartão virtual geralmente é gerado para uma única transação, o risco de fraude é significativamente reduzido.

  • Maior alcance de clientes: 

Alguns clientes preferem usar cartões virtuais por questões de segurança ou conveniência. Oferecer essa opção pode atrair um público mais amplo.

  • Processamento rápido: 

Transações com cartões virtuais são processadas da mesma forma que as de cartões físicos, garantindo eficiência no checkout.

Entendendo o Cartão Virtual

Antes de mais nada, é importante entender o que é e como usar um cartão virtual. Um cartão virtual é um cartão de crédito ou débito gerado digitalmente pelo aplicativo do seu banco. Ele possui os mesmos dados de um cartão físico, como número, validade e CVV, mas não existe em formato físico.

O papel das carteiras digitais

As carteiras digitais funcionam como um elo entre os consumidores e os métodos de pagamento mais modernos, como o uso de cartões virtuais em maquininhas. Essas tecnologias permitem uma experiência de compra mais segura, rápida e conveniente. Aqui está um passo a passo de como adicionar o cartão na carteira digital: 

1. Emita o cartão virtual:

  • Acesse o aplicativo do seu banco ou instituição financeira.
  • Busque a opção "cartão virtual" ou "gerar cartão virtual".
  • Selecione o tipo de cartão desejado (crédito ou débito) e defina o valor limite.
  • O cartão virtual será gerado com número, data de validade e CVV.

2. Adicione o cartão à carteira digital:

  • Baixe o aplicativo da carteira digital escolhida (ex: Google Pay, Apple Pay, Samsung Pay).
  • Abra o aplicativo e siga as instruções para adicionar um novo cartão.
  • Insira os dados do seu cartão virtual: número, data de validade e CVV.
  • O cartão virtual será adicionado à carteira digital.

Leia mais: Qual a diferença entre as carteiras digitais Samsung Pay e GooglePay?

Dicas para incentivar o uso do cartão virtual na sua loja física

Para incentivar o uso de cartões virtuais em sua loja física, é importante adotar estratégias que não apenas destaquem os benefícios dessa modalidade de pagamento para os clientes, mas também garantam a facilidade e segurança no uso. Aqui estão algumas dicas práticas para promover o uso do cartão virtual em seu estabelecimento:

Comunique os benefícios

Informe seus clientes sobre as vantagens de usar o cartão virtual, como segurança, praticidade e agilidade.

Ofereça promoções

Crie promoções exclusivas para pagamentos com cartão virtual para estimular a sua utilização.

Treine sua equipe

Treine seus colaboradores para orientar os clientes sobre como usar o cartão virtual na maquininha.

Invista em maquininhas com NFC

Adquira maquininhas com tecnologia NFC para oferecer a melhor experiência de pagamento aos seus clientes.

A aceitação de pagamentos por aproximação (NFC - Near Field Communication) pelas maquininhas de cartão tornou-se um fator crucial no cenário comercial atual, refletindo não apenas uma tendência de mercado, mas uma evolução necessária diante das demandas por segurança, rapidez e conveniência nas transações.

A maquininha Smart da InfinitePay representa a inovação em soluções de pagamento, destacando-se pela sua capacidade de aceitar pagamentos por aproximação através da tecnologia NFC (Near Field Communication). A adoção dessa tecnologia reflete um compromisso com a inovação, permitindo que comerciantes de todos os tamanhos ofereçam uma experiência de compra atualizada e alinhada com as expectativas dos consumidores modernos, que prezam pela conveniência e segurança em suas transações.

Maquininha no celular de graça!

Além disso, você também pode transformar seu celular em maquininha totalmente de graça para aceitar pagamentos via cartão por aproximação. Quer saber como? 

Pagamentos

No mundo das finanças e do comércio eletrônico, um termo que vem ganhando destaque é o pagamento recorrente no cartão de crédito. Essa modalidade tem revolucionado a maneira como consumidores acessam serviços e produtos, oferecendo conveniência tanto para clientes quanto para empresas. 

Um estudo sobre Meios de Pagamento feito em 2023 pela OpinionBox, revelou que os meios de pagamento mais usados no Brasil são o cartão de crédito (80%), o pix (77%), o dinheiro (73%) e o cartão de débito (66%)

O parcelamento se enraíza na cultura de compra do brasileiro, com 46% dos entrevistados afirmando parcelar as compras sempre que possível. Essa prática demonstra a busca por flexibilidade e planejamento financeiro por parte dos consumidores.

O crédito atua como um importante aliado do consumidor, expandindo seu poder de compra e permitindo a aquisição de bens e serviços de maior valor. A pesquisa comprova essa percepção, com 64% dos entrevistados concordando que o parcelamento no cartão de crédito contribui para a compra de mais itens.

O que é uma cobrança recorrente?

A cobrança recorrente no cartão de crédito é uma modalidade de cobrança automática programada para ocorrer em intervalos regulares, como mensal, trimestral ou anual, diretamente no cartão de crédito do cliente. 

A versatilidade da cobrança recorrente a torna uma ferramenta poderosa para diversos nichos de mercado, desde assinaturas de serviços como plataformas de streaming, academias, clubes de assinatura e softwares, até vendas de produtos como livros, suplementos alimentares e itens de higiene pessoal. Sua aplicação se estende ainda a doações, facilitando o apoio de colaboradores a ONGs e outras instituições filantrópicas.

Leia mais:

O que é e como fazer uma cobrança?

Cobrança recorrente: como funciona e como implementar no seu negócio

Como funciona uma cobrança recorrente no cartão de crédito?

O processo é simples: após o cliente fornecer os dados do seu cartão de crédito e autorizar a cobrança recorrente, o valor acordado é automaticamente debitado do cartão nos períodos estipulados. Isso elimina a necessidade de realizar pagamentos manuais a cada ciclo, garantindo que o acesso ao serviço ou produto não seja interrompido por esquecimento ou atraso no pagamento.

Ao entender como funciona e quais são suas vantagens, é possível aproveitar melhor essa modalidade de pagamento, garantindo uma experiência positiva para consumidores e empresas. Seja para manter o acesso a seus serviços favoritos ou para gerenciar melhor suas receitas, o pagamento recorrente é definitivamente uma opção que vale a pena considerar.

Cobrança recorrente e parcelamento são a mesma coisa?

Cobrança recorrente e parcelamento são dois conceitos financeiros amplamente utilizados tanto por consumidores quanto por empresas, cada um com suas características e finalidades específicas. Entender as diferenças entre esses dois métodos de pagamento é essencial para escolher a opção mais adequada às suas necessidades. Veja:

Cobrança recorrente

A cobrança recorrente refere-se à prática de cobrar automaticamente um valor fixo no cartão de crédito ou conta bancária do cliente em intervalos regulares (mensal, trimestral, anual, etc.) sem um período de término definido inicialmente. Esse método é comumente utilizado para assinaturas de serviços ou produtos contínuos, como academias, serviços de streaming, softwares, entre outros.

Características principais:

  • Pagamentos automáticos em intervalos regulares.
  • Sem data de término definida inicialmente; continua até que o cliente ou a empresa cancele o serviço.
  • Geralmente associada a serviços ou acesso contínuo a produtos.
  • O valor que impacta no limite do cartão é o do valor da parcela.

Parcelamento

O parcelamento, por outro lado, é a divisão do valor total de uma compra em várias partes menores, que serão pagas pelo consumidor em intervalos regulares, geralmente mensais. O parcelamento pode ser feito com ou sem juros, dependendo do acordo entre o consumidor e a empresa. Este método é frequentemente utilizado em compras de valor mais alto, permitindo ao consumidor pagar ao longo do tempo.

Características principais:

  • Divisão do valor total de uma compra em várias parcelas.
  • Tem um período de término definido, quando todas as parcelas são pagas.
  • Associado a compras específicas de produtos ou serviços.
  • O valor que impacta no limite do cartão é o total valor da compra

Você também pode se interessar por:

Parcelamento de boletos: como oferecer essa opção aos seus clientes
Reduza inadimplências produzindo uma carta de cobrança eficaz

Principais diferenças entre parcelamento e cobrança recorrente no cartão de crédito

O parcelamento e a cobrança recorrente no cartão de crédito são duas modalidades de pagamento que podem ser vantajosas tanto para empresas quanto para clientes. No entanto, existem diferenças importantes entre elas que devem ser consideradas antes de escolher a opção mais adequada para cada situação.

Limite de crédito

No parcelamento, o valor total da compra é debitado do limite do cartão de crédito no momento da compra. Já na cobrança recorrente, apenas o valor da parcela mensal é debitado, liberando o limite para outras compras. Isso é importante para compras de alto valor, pois permite que o cliente faça a compra sem comprometer todo o seu limite de crédito.

Taxas

O parcelamento geralmente envolve taxas, que podem aumentar o custo total da compra ou impactar no valor recebido pela empresa. Já a cobrança recorrente pode ser oferecida com ou sem taxas, dependendo da empresa e do tipo de serviço ou produto.

Fidelização

A cobrança recorrente pode ser uma ferramenta eficaz para fidelizar clientes, pois facilita o pagamento e cria um compromisso entre o cliente e a empresa. Já o parcelamento é uma opção mais pontual, facilita o acesso daquele produto ou serviço pelo cliente.

Cobrança recorrente Parcelamento
Impacto no limite (valor) Da parcela Do valor da compra
Taxas Em alguns casos Em todos os casos, para o cliente ou estabelecimento
Cancelamento Facilitado para serviços de assinatura mensal Em muitos casos não é possível
Reajuste De acordo com o pacote/serviço utilizado Valor não reajustável

Quais são as vantagens ao utilizar a cobrança recorrente no seu negócio?

A cobrança recorrente no cartão de crédito oferece uma série de vantagens tanto para empresas quanto para consumidores, marcando uma evolução significativa na forma como as transações financeiras são conduzidas. 

Para as empresas

Previsibilidade de receita

Uma das principais vantagens é a previsibilidade de receita, uma vez que os pagamentos ocorrem de maneira automática e regular, facilitando o planejamento financeiro e a gestão do fluxo de caixa. 

Redução da inadimplência

A redução nas taxas de inadimplência é uma vantagem significativa. A natureza automatizada da cobrança recorrente diminui consideravelmente o risco de atrasos ou esquecimentos no pagamento, problemas comuns em modelos de cobrança tradicionais. Isso assegura uma receita mais estável para as empresas e mantém uma relação mais harmoniosa com os clientes, evitando o desconforto associado à cobrança de dívidas.

Leia também Elementos essenciais de uma mensagem de cobrança de mensalidade escolar

Para os consumidores

Conveniência

A conveniência é um dos maiores benefícios. Ao optar pela cobrança recorrente, eles evitam o incômodo de ter que lembrar de fazer pagamentos manuais todos os meses, garantindo que o acesso aos serviços ou produtos não seja interrompido. Isso não apenas economiza tempo, mas também oferece uma experiência de compra mais suave e sem interrupções. 

Você também pode se interessar: 4 Exemplos de Mensagem de Cobrança pelo WhatsApp para clientes

Como a InfinitePay ajuda empresas que fazem cobranças recorrentes?

A InfinitePay oferece uma solução de gestão de cobranças que simplifica e automatiza o processo de cobrança recorrente para empresas de diferentes segmentos. Esse sistema é projetado para minimizar a inadimplência e otimizar o fluxo de caixa das empresas. 

Veja o passo a passo para gerar uma cobrança recorrente no cartão de crédito com a InfinitePay: 

A InfinitePay é ideal para empresas de diversos nichos que lidam com cobranças recorrentes, como:

  • Academias
  • Escolas de idiomas
  • Assinaturas de serviços
  • Venda online
  • Clínicas médicas
  • Prestadores de serviços

A InfinitePay facilita a gestão de cobranças recorrentes através de uma plataforma automatizada e flexível, que adapta-se às necessidades tanto das empresas quanto de seus clientes, proporcionando uma solução eficaz para reduzir a inadimplência e melhorar o fluxo de caixa.

Leia mais: Por que usar um sistema de cobrança automatizado?

Pagamentos

O CVV, ou Código de Verificação do Cartão, é um código de segurança de três ou quatro dígitos impresso na parte de trás do cartão de crédito ou débito. Ele é usado para ajudar a proteger as compras online, pois ajuda a verificar a identidade do titular do cartão.

Para os lojistas, entender o que é o CVV (Código de Verificação) do cartão é fundamental para garantir a segurança nas transações de pagamento. O CVV é um componente essencial nos cartões de crédito e débito, e sua correta utilização ajuda a prevenir fraudes e proteger os consumidores e os próprios comerciantes.

O que é CVV e como funciona?

CVV, que significa "Card Verification Value", é um código de segurança de três ou quatro dígitos, geralmente impresso no verso dos cartões de crédito e débito. Às vezes, também é chamado de Código de Segurança do Cartão ou Código de Verificação do Cartão. Esse código serve como uma camada adicional de segurança durante as transações online e presenciais.

O CVV é gerado a partir das informações do cartão e é único para cada cartão. No entanto, ele não é armazenado magneticamente no cartão nem nos registros de transações do comerciante. O objetivo é que o CVV seja um código temporário e exclusivo, o que torna sua obtenção por terceiros muito difícil. Por isso é recomendável, utilizar o cartão virtual ao invés do físico, pois neste caso o CVV é temporário e isso traz mais segurança tanto para o cliente quanto para o negócio.

Quando um cliente realiza uma compra online ou por telefone, ele é solicitado a fornecer o CVV. O comerciante envia o número do CVV para a rede de cartões, que verifica se ele corresponde aos registros da instituição emissora do cartão. Se tudo estiver correto, a transação é autorizada.

Você também pode se interessar por: 7 dicas para turbinar suas vendas online

Importância do CVV nas transações financeiras do negócio

  • Prevenção de fraudes: O CVV ajuda a verificar se o portador do cartão está fisicamente presente ou possui acesso ao código, o que dificulta o uso indevido de informações de cartões roubados.
  • Redução de chargebacks: O uso correto do CVV pode diminuir a ocorrência de chargebacks, em que os consumidores contestam uma transação não autorizada.
  • Cumprimento de regulamentações: Aceitar o CVV é uma prática recomendada pelas redes de cartões e regulamentações de segurança, como o PCI DSS (Padrão de Segurança de Dados da Indústria de Cartões de Pagamento).

Como encontrar o CVV do cartão?

O CVV é impresso na parte de trás do cartão de crédito ou débito, em um pequeno espaço na linha horizontal abaixo do número do cartão. O número é geralmente impresso em preto e pode ser um pouco difícil de ver.

Agora para encontrar o CVV de um cartão virtual, você precisará acessar o aplicativo ou site do emissor do cartão. No app da InfinitePay, por exemplo, você encontra o cvv do seu cartão virtual acessando: 

  1. Acesse o app;
  2. Vá até a seção “Cartões e mais”;
  3. Clique em “Dados do Cartão”

Pronto! Seu CVV estará disponível para consulta e transações.

Cartão virtual para compras recorrentes COM CASHBACK é o InfiniteCard

O CVV é o mesmo que a senha do cartão?

Não, o CVV é diferente da senha cadastrada no cartão. A senha é usada para transações com cartão presencialmente, enquanto o CVV é usado principalmente em transações online ou por telefone.

Quando solicitar o CVV ao cliente? 

Solicitar o CVV (Código de Verificação) no site ou loja virtual do seu negócio ao cliente deve ser uma prática cuidadosamente considerada para garantir a segurança das transações e a confiança dos clientes. Aqui estão situações comuns em que você deve solicitar o CVV:

Transações online

Sempre que um cliente realizar uma transação online em seu site ou aplicativo, é apropriado solicitar o CVV. Isso inclui compras em lojas virtuais, assinaturas de serviços, reservas de hotéis e passagens aéreas, entre outros. O CVV ajuda a verificar a identidade do portador do cartão, especialmente quando o cartão não está presente fisicamente.

Leia mais: Confira algumas dicas para vender com segurança na internet!

Pedidos por telefone

Se você aceitar pedidos por telefone, é aconselhável solicitar o CVV do cliente durante a conversa. Isso adiciona uma camada de segurança, pois ajuda a verificar a identidade do cliente quando o cartão não pode ser verificado fisicamente.

Transações recorrentes

Em caso de cobrança recorrente, como assinaturas de serviços mensais, é uma boa prática solicitar o CVV a cada transação. Isso ajuda a garantir que o cliente autorize continuamente as cobranças em seu cartão e evita o uso não autorizado.

Leia mais: Como um sistema de cobrança pode ajudar no fluxo de caixa?

Atualização de dados

Se um cliente precisar atualizar as informações do cartão, como data de validade ou número do cartão, solicite também o CVV como parte do processo de verificação.

Reservas com garantia

Em setores como hotéis e locadoras de veículos, é comum solicitar o CVV como garantia para a reserva, mesmo que o pagamento final seja efetuado posteriormente. Isso ajuda a proteger o estabelecimento contra reservas não confirmadas.

Transações de alto valor

Ao lidar com transações de alto valor, é prudente solicitar o CVV para uma camada adicional de segurança. Isso pode ser especialmente relevante em setores como joalherias, eletrônicos de luxo e outros produtos caros.

Lembre-se de que, ao solicitar o CVV, é fundamental aderir às regulamentações de segurança, como o PCI DSS (Padrão de Segurança de Dados da Indústria de Cartões de Pagamento), e proteger as informações sensíveis do cartão do cliente. Além disso, educar sua equipe sobre a importância de lidar com o CVV de forma segura e seguir procedimentos adequados é crucial para manter a integridade das transações e a confiança dos clientes.

Posso armazenar o CVV das transações dos meus clientes?

É recomendável solicitar ao cliente o CVV a cada transação feita, mesmo em caso de recorrentes e NÃO armazenar o CVV do cliente. É contra as regulamentações de segurança, como o PCI DSS, e pode expor sua empresa a riscos de segurança.

Como garantir a segurança das transações financeiras do negócio?

Garantir segurança nas transações financeiras via CVV (Código de Verificação) do negócio é essencial para proteger tanto o seu empreendimento quanto seus clientes contra possíveis fraudes. Abaixo, listamos algumas medidas que você pode adotar para aumentar a segurança nas transações financeiras utilizando o CVV:

  • Eduque a equipe:

Certifique-se de que sua equipe esteja bem treinada e consciente da importância do CVV na segurança das transações. Eles devem saber como lidar com essa informação de forma responsável e seguir todas as diretrizes e procedimentos estabelecidos.

  • Não armazene o CVV:

Uma das medidas mais críticas é nunca armazenar o CVV das transações dos clientes. Conforme mencionado anteriormente, isso é estritamente desaconselhado pelas regulamentações de segurança, como o PCI DSS. O CVV deve ser considerado uma informação temporária e única, não guardada em seus registros.

  • Utilize tecnologias de segurança:

Implemente sistemas de segurança avançados, como criptografia de dados, para proteger as informações do cartão dos clientes, incluindo o CVV. Certifique-se de que sua infraestrutura de TI esteja atualizada e seja capaz de detectar e responder a possíveis ameaças cibernéticas.

  • Adote autenticação multifatorial:

Considere a implementação da autenticação multifatorial (MFA) em suas transações financeiras. A MFA exige que os clientes forneçam mais de uma forma de identificação para confirmar a legitimidade da transação. Isso pode incluir o uso do CVV, juntamente com senhas, autenticação biométrica ou um código temporário enviado por SMS.

  • Monitore atividades suspeitas:

Implemente sistemas de monitoramento de transações que possam identificar atividades suspeitas ou não autorizadas. Isso inclui a detecção de padrões de compra incomuns ou a tentativa de transações consecutivas com cartões diferentes.

  • Esteja conforme com as regulamentações:

Mantenha-se atualizado sobre as regulamentações de segurança de cartões de pagamento, como o PCI DSS, e assegure-se de que seu negócio esteja em conformidade. Isso envolve a implementação de medidas de segurança específicas e a realização de auditorias regulares para garantir a conformidade contínua.

  • Fornecer suporte ao cliente:

Esteja disponível para seus clientes em caso de dúvidas ou preocupações relacionadas às transações e à segurança. Ter um serviço de atendimento ao cliente eficaz pode ajudar a resolver problemas e fornecer tranquilidade aos clientes.

  • Faça auditorias e testes de segurança:

Realize auditorias de segurança e testes regulares em sua infraestrutura para identificar possíveis vulnerabilidades. Contrate especialistas em segurança, se necessário, para garantir que suas práticas estejam atualizadas e seguras.

  • Fomente uma cultura de segurança

Promova uma cultura de segurança em seu negócio, incentivando todos os funcionários a estarem vigilantes quanto às ameaças de segurança e a adotarem boas práticas.

Como saber se o site do meu negócio é seguro 

Um site seguro é aquele que usa o protocolo HTTPS. O HTTPS é uma versão segura do protocolo HTTP, que é usado para transmitir informações pela internet. O HTTPS adiciona uma camada de criptografia às informações transmitidas, o que ajuda a protegê-las de serem interceptadas por terceiros.

Para saber se um site é seguro, observe se o endereço do site começa com "https". Você também pode verificar se o site tem um cadeado verde na barra de endereço do seu navegador.

Selos de segurança e a utilização segura do CVV

Quando se trata de fornecer o seu CVV (Código de Verificação do Cartão) em um site para realizar uma transação online, é fundamental verificar a segurança do ambiente virtual em que está inserida essas informações sensíveis. Uma maneira eficaz de fazer isso é por meio da identificação de selos de segurança.

O que são selos de segurança?

Os selos de segurança são certificados ou indicadores visuais que atestam que um site segue práticas de segurança rigorosas e cumpre com padrões específicos de proteção de dados. Esses selos são emitidos por empresas de segurança cibernética ou organizações regulatórias, e sua presença em um site geralmente indica que a plataforma é mais segura para o uso.

Verificando a segurança com selos

Ao criar um site para o seu negócio em que ocorra transações financeiras via CVV, é importante garantir a presença de selos de segurança para que as informações pessoais e financeiras dos clientes estejam protegidas. Alguns dos selos de segurança mais comuns incluem:

SSL (Secure Socket Layer): 

O SSL é um protocolo de criptografia que garante a segurança das informações transmitidas entre o seu navegador e o servidor do site. A presença do ícone de um cadeado na barra de endereço e o prefixo "https://" no início do URL são indicativos de que o site utiliza.

Certificado de Segurança: 

Alguns sites exibem certificados de segurança emitidos por autoridades de certificação confiáveis, como o Norton Secured, McAfee Secure, entre outros. Esses selos atestam que o site foi verificado quanto à segurança.

PCI DSS Compliance: 

O PCI DSS (Payment Card Industry Data Security Standard) é um conjunto de normas que regulamentam a segurança de dados de cartões de pagamento. Sites que seguem essas normas geralmente exibem o selo de conformidade PCI DSS.

Outros selos de confiança: 

Além disso, muitos sites podem exibir selos de confiança de órgãos reguladores ou associações do setor que garantem a segurança das transações.

Leia mais: 

Usar o CVV na prática é essencial para lojistas que desejam manter um ambiente seguro para transações com cartão de crédito e débito. Ao seguir as dicas mencionadas, você estará bem equipado para garantir que o CVV seja utilizado de maneira eficaz e responsável em seu negócio, contribuindo para a segurança de seus clientes e a reputação de sua empresa. Lembre-se sempre de manter-se atualizado com as regulamentações de segurança e buscar formas de aprimorar constantemente a proteção de dados em suas operações comerciais.

Finanças

Nenhum negócio sobrevive ao competitivo mercado empresarial brasileiro por muito tempo sem uma boa gestão. Fazer a conciliação bancária e ter todos os números da sua empresa na ponta do lápis é essencial para sobreviver no Brasil.

Segundo especialistas, inclusive, a falta de gestão profissional é uma das principais ameaças para as PMEs.

Dentre os principais pontos a serem considerados no gerenciamento de uma companhia, é preciso levar em conta todas as questões financeiras e de controle interno que permitem a uma organização atingir o tão desejado equilíbrio orçamentário.

Agora, visando oferecer outro conteúdo relevante para você e seu negócio, lhe forneceremos um passo a passo sobre como fazer conciliações bancárias. Vamos lá?

O que é conciliação bancária

Antes de começarmos, é importante definir do que se trata a conciliação bancária. Ela é uma ferramenta de extrema importância para a gestão financeira de uma empresa, independentemente de seu tamanho.

Em linhas gerais, a conciliação bancária nada mais é do que a relação entre os controles financeiros internos de um negócio e as movimentações da conta ou das contas de uma empresa. Na prática, nada mais é do que você comparar o seu sistema de gestão, a sua planilha ou o seu caderno com o extrato do seu banco em um determinado período!

Ou seja, é neste momento que o empreendedor compara, de lado a lado, todas as despesas, recebimentos e o saldo disponível da empresa. Assim, é possível conferir se as movimentações realizadas foram de fato efetivadas, e se existem divergências nos resultados apresentados.

Entradas e saídas <> extrato bancário

Suponha, por exemplo, que você deseja avaliar se as entradas e saídas do negócio estão de acordo com o saldo de seu banco. É através do processo de conciliação bancária que você consegue traçar comparativos entre esses dados e mensurar se está tudo dentro dos conformes na gestão financeira da empresa.

Dessa forma, você garante que o controle da sua empresa está correto e não cai na armadilha de achar que tem uma quantia de dinheiro disponível e quando vai ver no banco... Cadê?

Diversos empreendedores dependem dessa tarefa para evitarem prejuízo, principalmente se recebem por cartões de crédito ou débito e boletos. Nestes casos, os valores arrecadados das vendas ou das prestações de serviço caem na conta bancária da pessoa jurídica. Através da conciliação é possível, então, conferir se o crédito esperado de fato caiu em sua conta, e entender seu capital de giro.

Levando este benefício em consideração, já fica mais do que clara a importância de realizar conciliação bancária dentro de qualquer empresa. Afinal, ter conhecimento do que de fato entrou em sua conta bancária e se você realmente recebeu por suas vendas, é essencial para o desenvolvimento de qualquer empreendimento.

Leia mais: O que é capital de giro

A importância do processo de conciliação bancária

A conciliação bancária é uma ação crucial e corriqueira dentro do dia a dia de qualquer departamento financeiro. Como dissemos, seu principal intuito é o de analisar se há inconsistências ou se todos os dados do controle interno (entradas e saídas de capital) estão batendo.

Especialmente quando tratamos de estabelecimentos que lidam com muitas vendas diárias provenientes de diferentes fontes (cartões de crédito, débito, pagamento a vista, boleto bancário), a conciliação bancária é uma ferramenta indispensável e capaz de prover cenários financeiros diários, semanais, mensais, anuais ou mesmo de um período específico, e que ajuda a validar seu fluxo de caixa.

Dessa forma, você garante que sempre terá capital disponível para realizar as suas operações cotidianas, ou para o cumprimento de obrigações, como faturas de fornecedores, empréstimos, financiamentos bancários etc.

Pensando no curto prazo, a conciliação bancária pode parecer um esforço extra que, para quem não tem tanto tempo disponível, pode ser irrelevante. Porém, realizando este controle durante longos períodos (meses, anos) vai ficar perceptível a quantidade de perdas que podem ser evitadas com esta prática.

Baixe agora nossa planilha de fluxo de caixa. É grátis!

A conciliação bancária evita prejuízos

É importante salientar, também, que se o acompanhamento das entradas e saídas possuem valores errados, consequentemente o gestor financeiro vai basear-se em cálculos errados, resultando em estratégias que podem gerar prejuízos futuros para a empresa.

Valores que não condizem com a realidade resultam em falhas no acompanhamento do fluxo de caixa da empresa, e isto pode se tornar um problema grave a médio ou longo prazo, colocando em risco o futuro do empreendimento. Já pensou se chega no dia de um pagamento e não tem dinheiro no banco?

Outra questão a ser pontuada são os prejuízos recorrentes que podem acontecer quando não se acompanha o extrato bancário com frequência. Isso costuma acontecer quando existem taxas cobradas em cima de serviços prestados por bancos e operadoras.

Taxas de maquininhas

Por exemplo, quando se contrata o serviço de uma adquirente (aquela que provê a maquininha, que possibilita, para o varejista, aceitar cartão em seu estabelecimento), taxas diversas são cobradas para diferentes tipos de transação. Muitas empresas altera essas taxas sem aviso prévio, resultando em um gasto extra para o empreendedor, que muitas vezes não tem conhecimento da cobrança indevida. A conciliação bancária permite um acompanhamento mais efetivo em relação a estes valores que, muitas vezes, são cobrados sem que o empreendedor perceba.

Na InfinitePay, que oferece meios de pagamento para o empreendedor, as taxas são transparentes e sem pegadinhas, justamente para facilitar a vida dos empreendedores. Oferecemos uma calculadora de taxas para nossos clientes saberem quanto vão receber em cada venda.

A conciliação bancária pode ser uma ferramenta atrelada diretamente ao planejamento estratégico da empresa, permitindo uma visão mais detalhada de todas as despesas e lucros do estabelecimento.

O resultado? Uma ferramenta indispensável de controle, capaz de te guiar para planejar e construir o seu negócio de acordo com os objetivos traçados para ele!

Como fazer a conciliação bancária

Agora que já entendemos a importância e a definição de conciliação bancária, vamos verificar como fazer a conciliação bancária e de que modo ela deve ser implementada na cultura de uma empresa.

Confira o passo a passo:

Registro diário das movimentações

O primeiro passo para uma conciliação bancária completa e eficaz consiste em registrar, todos os dias, quais foram as movimentações de entrada e saída de suas contas. Neste processo, leve em conta tudo: desde pequenas taxas cobradas pelos bancos, até a entrada de volumes mais substanciais, como aquelas vindas de maquininhas, vendas por celular, Pix, link de pagamento ou boleto. Exemplos de saídas: pagamentos de fornecedores, contas fixas, recebimentos de clientes, pagamentos de salários, impostos, tarifas bancárias etc.

Você deve guardar notas fiscais, recibos, extratos, comprovantes de depósitos, pagamentos e transferências bancárias. Isso servirá como prova para os casos de identificação de valores que não caíram em sua conta. Dessa forma, você estará fazendo o controle interno do caixa da sua empresa, registrando diariamente as entradas e saídas de dinheiro, além do seu saldo bancário.

Uma dica: É muito importante que você registre os lançamentos de acordo com a data de movimentação de caixa deles. Por exemplo:

  • Se você fez uma venda hoje no crédito, você registrará a entrada desse capital no dia que cair na sua conta. Se você for cliente da InfinitePay, pode escolher cair na hora ou em 1 dia útil.
  • Se você assinou um plano de Internet para a sua empresa, você já deve fazer a previsão desse débito todo dia 10.

Esse controle garante que você respeite os prazos de pagamento e evite pagar multas por atraso. Além disso, o acompanhamento detalhado de todas as movimentações de entrada e saída junto ao seu extrato bancário vai permitir que você identifique dados divergentes, na hora da conferência entre os números e as datas.

Conferência de saldos

Em seguida, é preciso validar se os saldos do controle interno (tanto o inicial, quanto o final) conferem com as informações do extrato bancário.A forma mais comum é através da comparação do arquivo do banco, geralmente no formato OFX ou PDF, com o seu sistema interno.  

Verificação de Detalhes

Extrato na mão, controle interno na outra... Ao que devemos ficar atentos para fazer uma boa conciliação bancária?

  • Qual é o saldo inicial e saldo final previsto? Bate com o realizado?
  • As datas estão conferindo? Tudo o que estava previsto para entrar e para sair na conta, efetivamente entrou?
  • Os valores foram todos lançados de modo correto no controle financeiro da empresa?
  • Existe algum lançamento que não estava identificado, seja do seu controle interno ou do extrato bancário?

Com esse checklist você conseguirá fazer uma conciliação bancária eficiente!

Bônus: Se você conseguir agrupar os lançamentos por categorias, você terá uma visão ainda melhor sobre sua empresa.

Dessa forma você conseguirá saber por exemplo, onde está o seu maior custo (É no custo das mercadorias? Nas despesas fixas? Nas despesas com funcionários? Impostos?)

Realizando eventuais correções

Finalmente, caso tenha sido localizada alguma inconsistência na etapa anterior, é hora de aplicar a devida correção nos dados de modo que todos os lançamentos do controle interno reflitam a realidade das finanças do negócio.

Lembrando que notas fiscais, boletos, extratos e comprovantes devem ser guardados para futuro lançamento contábil.

  • DIFERENÇAS ENTRE BANCO X CONTROLE INTERNO

Caso tenha alguma divergência entre os registros do seu controle interno e banco, procure olhar os documentos originais de cada lançamento. Erros comuns que podem acontecer são erros de digitação na hora da inclusão do dado, duplicidade de venda, multa/desconto por atraso não previsto, entre outros.

  • TRANSAÇÕES NÃO PROCESSADAS OU NÃO COMPENSADAS

Caso você faça vendas por cartão, atente-se ao fato de que podem haver transações que não foram processadas totalmente (mesmo com o comprovante sendo impresso na máquina). Para isso, é importante que você faça a conciliação entre o seu sistema de vendas e o extrato das operadoras.

Além disso, pode haver também atraso no pagamento das suas vendas por parte das operadoras de cartão de crédito. Verifique se isso acontece e entre em contato com a sua operadora para corrigir as pendências.

  • TAXAS E DÉBITOS IMPREVISTOS

Caso você faça vendas por cartão, também é necessário realizar o controle das taxas cobradas pelas operadoras. Todas as taxas foram cobradas corretamente Além disso, confira se todas as tarifas bancárias (como TED ou DOC) estão previstas no seu controle interno.

Alguns impostos sob operações, como IOF (Caso você tenha feito alguma operação internacional ou alguma aplicação financeira) também pode gerar diferenças na hora de conferência do saldo.

Leia mais: IOF: O que é e como funciona

Se você precisa de dinheiro rápido e com taxas transparentes, conheça a maquininha de cartão da InfinitePay. Taxas sem surpresas, a partir de 1,38% no débito. E você ainda escolhe se quer receber na hora ou em 1 dia útil.

Pagamentos

O avanço tecnológico e a demanda por soluções práticas e seguras deram origem a uma revolução no mundo dos pagamentos: as carteiras digitais. Também conhecidas como e-wallets, as carteiras digitais surgiram como uma solução moderna para facilitar pagamentos, conveniência e segurança ao consumidor.

Dentre as várias opções disponíveis no mercado, o Apple Pay, a carteira digital da Apple, se destaca como uma das mais populares e confiáveis. Se você já se perguntou “como usar Apple Pay?”, chegou ao lugar certo. Prepare-se para mergulhar no universo das carteiras digitais e descobrir como o Apple Pay pode transformar sua experiência de compra.

O que é Apple Pay?

Apple Pay é um serviço de pagamento móvel e carteira digital oferecido pela Apple. Ele permite que os usuários façam pagamentos usando dispositivos Apple de forma fácil e segura, tanto em lojas físicas quanto online.

Ao invés de usar cartões de crédito físicos ou dinheiro, o Apple Pay transforma o processo de pagamento em uma experiência mais moderna e conveniente. Todas as informações de pagamento são armazenadas de forma segura no dispositivo e podem ser acessadas rapidamente sempre que você precisar realizar uma compra.

Como o Apple Pay funciona em dispositivos Apple:

  • iPhone: No iPhone, o Apple Pay funciona através da integração com o aplicativo Carteira. Ao aproximar o celular de um terminal de pagamento que tenha NFC (Comunicação por Campo Próximo), a transação é iniciada. A venda só é realizada com Face ID, Touch ID ou, em celulares mais antigos, um código de acesso.
  • iPad: Para os iPads que possuem Touch ID ou Face ID, o Apple Pay pode ser usado para compras em aplicativos ou em sites quando navegados pelo Safari.
  • Apple Watch: Para usar o Apple Pay no Apple Watch, basta pressionar duas vezes o botão lateral e aproximar o relógio do terminal de pagamento. A autenticação é feita antecipadamente quando o relógio é colocado no pulso e permanece válido até ser removido.

Como configurar o Apple Pay?

Configurar o Apple Pay é um processo simples e intuitivo. Acompanhe os passos a seguir para começar a aproveitar os benefícios deste serviço:

  • Abra o aplicativo Wallet: No seu iPhone, localize e abra o aplicativo Wallet, representado por um ícone de carteira.
  • Toque no símbolo “+”: Você encontrará este símbolo no canto superior direito do aplicativo, indicando a opção para adicionar um novo cartão.
  • Siga as instruções na tela: O aplicativo irá guiá-lo através do processo de adição de um cartão. Isso geralmente envolve escanear o cartão com a câmera do dispositivo ou inserir manualmente os detalhes do cartão.
  • Verificação do cartão: Dependendo do banco ou instituição financeira, pode ser necessário verificar sua identidade ou confirmar a adição do cartão. Isso pode ser feito através de um código enviado por SMS, e-mail ou através de um aplicativo bancário.
  • Confirmação: Uma vez que o cartão tenha sido verificado e adicionado, ele estará pronto para ser usado com o Apple Pay. Você verá o cartão listado no aplicativo Wallet.

Como usar o Apple Pay em lojas físicas?

O Apple Pay utiliza a tecnologia NFC (Comunicação por Campo de Proximidade) para realizar transações em terminais de pagamento compatíveis. A seguir, mostramos como usar essa funcionalidade:

1. Localize o símbolo do Apple Pay ou NFC

Ao se preparar para pagar em uma loja, procure o símbolo do Apple Pay ou o ícone NFC no terminal de pagamento. Isso indica que o estabelecimento aceita pagamentos via Apple Pay.

2. Desbloqueie seu dispositivo

No iPhone, autentique-se utilizando o Face ID, Touch ID ou o código de acesso. No Apple Watch, pressione duas vezes o botão lateral.

3. Aproxime o dispositivo do leitor

Mantenha a parte superior do iPhone ou a tela do Apple Watch próximo ao leitor de pagamento até que você veja "Concluído" e uma marca de verificação na tela.

Detalhes sobre a autenticação biométrica (Face ID ou Touch ID) necessária para completar as transações:

A Apple dá grande ênfase à segurança do usuário. Ao usar o Apple Pay, é necessária uma forma de autenticação para garantir que a pessoa que está realizando a transação seja realmente o proprietário do dispositivo:

  • Face ID: Se estiver usando um iPhone com Face ID, olhe diretamente para o dispositivo para autenticar. Um pequeno ícone de cadeado se desbloqueará na parte superior da tela, indicando que a autenticação foi bem-sucedida.
  • Touch ID: Para dispositivos com Touch ID, coloque o dedo no sensor de impressão digital até que a transação seja autenticada.
  • Código de acesso: Em situações em que nem o Face ID nem o Touch ID estão disponíveis ou não funcionam, você pode inserir seu código de acesso para autorizar a transação.

Uso do Apple Pay em compras online

O Apple Pay não se limita apenas a lojas físicas – ele também pode ser usado para realizar pagamentos em aplicativos e em sites compatíveis. Veja como:

  • Ao finalizar a compra, procure o botão do Apple Pay ou a opção de pagamento com Apple Pay. Se você estiver logado na sua conta, sua carteira digital já estará disponível para ser usada.
  • Toque no botão Apple Pay para iniciar o processo de pagamento. Você verá um resumo do seu pedido, bem como os detalhes do cartão que será utilizado.
  • Assim como em lojas físicas, será necessário autenticar a transação usando o Face ID, Touch ID ou seu código de acesso, dependendo do dispositivo que estiver usando.
  • Após a autenticação bem-sucedida, o pagamento será processado. Uma notificação ou uma confirmação visual na tela indicará que o pagamento foi realizado com sucesso.

Vantagens de utilizar essa forma de pagamento em lojas online

Usar o Apple Pay para compras online oferece várias vantagens para os consumidores.

Rapidez

Elimina a necessidade de inserir manualmente detalhes do cartão de crédito ou débito, acelerando o processo de finalização da compra.

Segurança

A Apple utiliza a tecnologia de tokenização para proteger os detalhes do cartão. Isso significa que os detalhes reais do cartão nunca são compartilhados com o vendedor, reduzindo o risco de fraudes.

Conveniência

Com o Apple Pay, não há necessidade de criar contas em diferentes sites ou lembrar de senhas. Isso simplifica a experiência de compra, especialmente para compras rápidas ou impulsivas.

Privacidade

A Apple valoriza a privacidade do usuário. Ao usar o Apple Pay, o vendedor não recebe informações pessoais, como endereço de e-mail ou número de telefone, a menos que você escolha compartilhá-las.

Apple Pay é seguro?

Uma das principais preocupações dos consumidores ao adotar novas tecnologias de pagamento é a segurança. Felizmente, a Apple projetou o Apple Pay com várias camadas de segurança para garantir que as informações dos usuários permaneçam protegidas.

  • Tokenização: Quando você adiciona um cartão ao Apple Pay, um "token" é gerado. Este token é um número exclusivo que é usado em vez dos detalhes reais do seu cartão. Isso significa que os vendedores nunca têm acesso aos detalhes reais do seu cartão, diminuindo o risco de roubo de dados.
  • Autenticação biométrica: Como mencionado anteriormente, para realizar uma transação usando o Apple Pay, é necessário autenticar-se usando o Face ID, Touch ID ou um código de acesso. Isso serve como uma barreira adicional contra transações não autorizadas.
  • Criptografia de ponta a ponta: As informações relacionadas à transação são criptografadas de ponta a ponta, garantindo que elas permaneçam indecifráveis mesmo se interceptadas.

Como a Apple protege as informações financeiras do usuário

A privacidade é um pilar fundamental da filosofia da Apple, e isso se estende ao Apple Pay. A Apple não armazena detalhes sobre o que você comprou, onde comprou ou quanto pagou. Isso significa que suas transações permanecem privadas entre você, o comerciante e o seu banco.

Os detalhes do cartão, representados pelo token, são armazenados de forma segura no "Elemento Seguro" do dispositivo, um chip especializado que mantém as informações protegidas contra acessos não autorizados.

A Apple não vende suas informações para terceiros e não as compartilha com comerciantes, garantindo que sua privacidade seja mantida ao longo de todo o processo.

Cartões compatíveis com Apple Pay no Brasil

Quer saber se o seu cartão de crédito é aceito no Apple Pay? Confira a lista abaixo e veja as instituições disponíveis na carteira digital da Apple.

  • Banco do Brasil
  • Bradesco
  • BTG+
  • Digio
  • InfinitePay
  • Inter
  • Itaú
  • Next
  • Nomad
  • Nubank
  • Original
  • Porto Seguro
  • Unicred
  • Wise
  • Woop Sicred
  • XP

O cartão virtual da InfinitePay, o InfiniteCard, merece posição de destaque. Se você ainda não conhece, ele é o cartão virtual que devolve parte do dinheiro sempre que é usado.

A cada compra, você recebe de volta 1,5% do valor que gastou. E o melhor de tudo: ele não tem anuidade e você não paga nada pra criar o seu. Saiba todas as informações sobre o InfiniteCard.

Além fazer pagamentos, o iPhone também realiza cobranças por aproximação

O Tap to Pay no iPhone é a tecnologia que possibilita receber pagamentos por aproximação de cartões de crédito ou débito, Apple Pay, Apple Watch e smartphones com outras carteiras digitais diretamente no iPhone e sem a necessidade de maquininhas ou equipamentos adicionais.

Para que você consiga usar o Tap to Pay no iPhone, é necessário que você tenha duas coisas:

  • 1. Um iPhone com NFC

NFC, que é a abreviação de Near Field Communication (ou "comunicação a curta distância" em tradução livre), refere-se a uma tecnologia que possibilita a troca de informações entre dispositivos quando estão próximos um do outro. Confira mais sobre o que é NFC neste artigo.

Os modelos de iPhone habilitados para receber pagamentos por aproximação são o iPhone XS e mais novos, rodando a versão mais recente do iOS.

  • 2. O aplicativo da InfinitePay

A InfinitePay foi a primeira empresa brasileira a oferecer a possibilidade de receber pagamentos por aproximação no iPhone no Brasil. Para usá-lo, basta baixar na App Store, fazer o rápido cadastro e em menos de 5 minutos é possível começar a vender com seu iPhone.

O Apple Pay e tecnologias "tap to pay" representam o futuro dos pagamentos digitais. Eles simbolizam a transição de métodos tradicionais para soluções rápidas, seguras e convenientes.

As carteiras digitais, como o Apple Pay, oferecem não só uma experiência de compra mais fluída, mas também um nível superior de segurança através de recursos como tokenização e autenticação biométrica.

À medida que a tecnologia avança, é evidente que estamos nos movendo para uma era onde eficiência e conveniência em transações financeiras são priorizadas. Em resumo, o futuro dos pagamentos chegou – e é digital.

Finanças

Para quem está em busca de praticidade, fazer um cartão de crédito online aprovado na hora é a solução. Com a digitalização dos serviços financeiros, ficou mais fácil e rápido obter um cartão de crédito com maior limite inicial. Existem plataformas e bancos digitais que liberam cartão de crédito na hora após a solicitação. Isso elimina a espera e a burocracia, agilizando todo o processo.

A InfinitePay, por exemplo, oferece o Cartão Inteligente, cartão de crédito online aprovado na hora e com cashback de 1,5% em cada compra. Conheça: 

Qual o melhor cartão de crédito online aprovado na hora?

Se você já enfrentou a frustração de aguardar longos períodos para a aprovação de um cartão de crédito, saiba que existem alternativas no mercado que oferecem processos de aprovação mais ágeis e menos burocráticos. Veja um comparativo sobre cartão de crédito fácil de aprovar na hora:

Cartão InfinitePay Cartão “Roxo” Cartão “Azul e branco” Cartão “Amarelo”
Aprovação Na hora Análise SERASA Análise SERASA Investindo em CDB
Anuidade Sem anuidade Sem anuidade Sem anuidade Sem anuidade
Limite de crédito Saldo da conta vira limite na hora Análise de crédito Análise de crédito Aplicou no CDB a partir de R$ 300
Benefícios Múltiplos cartões grátis Desconto ao antecipar parcelas na fatura Programa de pontos -
Cashback 1,5% de volta em cada compra Não possui Não possui Não possui
Renda mínima Sem renda mínima Sem renda mínima - Sem renda mínima

Como é o processo para ter um cartão de crédito online aprovado na hora?

Para ter um cartão de crédito online aprovado na hora, escolha um banco ou instituição financeira que ofereça essa opção. Acesse o site ou aplicativo, preencha o formulário de solicitação com seus dados pessoais, renda e outras informações requeridas. Certifique-se de que atende aos requisitos de crédito da instituição. Após a submissão, o sistema realizará uma análise de crédito rápida. Se aprovado, você receberá a confirmação imediatamente e, em alguns casos, poderá começar a usar uma versão digital do cartão de crédito instantaneamente através do app da instituição.

O processo geralmente envolve:

  • Acessar o site ou aplicativo da instituição financeira

Muitos bancos digitais e fintechs possuem plataformas intuitivas que guiam o usuário passo a passo.

  • Preenchimento de dados

O solicitante deverá inserir informações pessoais básicas, como nome completo, CPF ou CNPJ, endereço, entre outros.

  • Análise de crédito instantânea

Usando algoritmos e sistemas automatizados, a empresa avalia a situação financeira e o histórico de crédito do solicitante rapidamente.

  • Resposta

Após a análise, o usuário recebe uma resposta sobre a aprovação (ou não) do cartão de crédito. Caso aprovado, receberá informações sobre o limite disponível e demais características do cartão.

Qual é o cartão de crédito mais fácil de ser aprovado na hora?

Um cartão fácil de aprovar é o Cartão virtual inteligente da InfinitePay, com ele você consegue organizar e planejar os gastos da sua empresa. E você ainda ganha cashback de 1,5% em cada compra feita na modalidade crédito com o cartão virtual. Ele funciona como cartão pré-pago e você escolhe o limite de cada cartão de acordo com o saldo da sua conta digital InfinitePay.

Leia mais: Cartão de crédito com cashback: o que é e como escolher o melhor

Vale a pena solicitar um cartão que libera limite na hora?

Sim! Solicitar um cartão que oferece liberação de limite imediato, como o cartão virtual da InfinitePay, pode ser muito vantajoso, especialmente em situações de urgência onde o acesso rápido ao crédito é necessário. Este tipo de cartão é perfeito para emergências ou para aproveitar uma promoção que não pode esperar uma longa análise de crédito. 

No entanto, é crucial verificar as taxas de juros, os benefícios associados e a credibilidade da instituição emissora para garantir que a opção escolhida seja realmente vantajosa e não acarrete dívidas futuras indesejadas.

Principais elementos que podem afetar a aprovação do seu cartão de crédito

  • Score de Crédito: 

Um baixo score de crédito pode indicar histórico de pagamentos ruins ou dívidas não pagas, o que desencoraja as instituições a concederem crédito.

  • Renda Mensal: 

Instituições frequentemente requerem um mínimo de renda para aprovação, para assegurar que o solicitante será capaz de pagar as dívidas.

  • Histórico de Crédito: 

Erros ou omissões no seu histórico de crédito podem afetar negativamente a decisão de aprovação.

  • Dívidas Atuais: 

Altos níveis de dívida em relação à sua renda (taxa de comprometimento) podem impedir a aprovação.

  • Inconsistências nos Dados: 

Dados incorretos ou desatualizados fornecidos durante a solicitação podem causar uma negação.

Por que o cartão de crédito não foi aprovado?

A não aprovação de um cartão de crédito pode ocorrer por diversos motivos, sendo os mais comuns o baixo score de crédito, renda insuficiente para o limite desejado, inconsistências ou informações incompletas na solicitação, além de um alto nível de endividamento atual. 

Outros fatores incluem a falta de histórico de crédito, especialmente para jovens adultos ou pessoas que nunca usaram crédito anteriormente, e erros no processo de solicitação, como fornecer um documento errado ou dados desatualizados.

Melhor cartão de crédito para negativados

Estar com o nome negativado no mercado pode ser um desafio para quem deseja obter um cartão de crédito. No entanto, a InfinitePay é o banco digital que libera cartão de crédito para negativados (nome sujo). O cartão virtual inteligente  funciona como um cartão de crédito pré-pago que você usa para movimentar o saldo das suas vendas e ainda tem um cashback automático de 1,5% a cada compra. Você também pode carregar um valor e fica disponível na hora para utilizar como crédito. Seja à vista ou parcelado. 

Você não precisa passar por etapas como análise de crédito ou informações adicionais além das que já tem cadastrada na conta digital grátis InfiniteBank, o processo é mais rápido ainda. 

Como pedir o cartão de crédito online aprovado na hora da InfinitePay

É muito simples e rápido criar o seu InfiniteCard e já começar usando. Siga esses passos simples e aproveite os benefícios:

  1. Abra o app da InfinitePay e clique na opção “InfiniteCard” 
  2. Escreva o nome que deseja aparecer no cartão de crédito virtual
  3. Determine um período de uso: Uso livre, Uso no trabalho ou Uso no fim de semana.
  4. Defina onde o cartão será usado: Alimentação, transporte, serviços gerais e etc.
  5. Crie a senha do seu cartão 
  6. Adicione na sua carteira digital favorita e pronto!

A aprovação instantânea de cartões de crédito veio para agregar conveniência e rapidez ao mundo financeiro moderno. Seguindo os passos mencionados acima, você pode estar a caminho de obter um cartão de crédito online aprovado na hora, proporcionando a você a liberdade financeira que necessita para gerenciar suas finanças com eficácia e eficiência.

fique ligado

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.

infinitebank