Modelo de DRE: Como Fazer Passo a Passo no Excel
Foto que ilustra um artigo com um modelo de DRE mostra um notebook com uma planilha aberta, com uma pessoa digitando, sobre uma mesa de escritório

Modelo de DRE: Como Fazer Passo a Passo no Excel

Existem muitas dúvidas quanto à estrutura da DRE. Pensando nisso, desenvolvemos um modelo de como estruturar a DRE no Excel. Confira!

02/10/2023

6

Copiar link

A demonstração financeira chamada DRE (demonstração do resultado do exercício) é um resumo de dados que possibilita que os empreendedores apresentem os resultados financeiros mensais ou anuais a seus investidores, bancos e até mesmo para o governo. Para saber se estão lucrando ou tendo prejuízos com as ações adotadas, as empresas precisam registrar e apresentar o resultado de suas operações financeiras. Para isso, plataformas digitais, ou até mesmo planilhas criadas no Excel são de grande ajuda para compor declarações como a DRE, por isso vamos apresentar aqui um modelo de DRE. 

A DRE inclui todas as contas do balanço patrimonial do negócio, sendo uma ferramenta de análise de resultado e tomada de decisão para fins fiscais e administrativos.A demonstração do resultado do exercício auxilia as organizações na gestão e controle de receitas, custos e despesas recebidas durante o ano, dados essenciais para calcular o lucro ou prejuízo de um negócio num período.

Existem muitas dúvidas quanto à estrutura da DRE. Pensando nisso, desenvolvemos um passo a passo de como estruturar a DRE no Excel. Acompanhe a leitura!

O que é DRE?

A DRE é uma ferramenta contábil auxiliar do balanço patrimonial. Pois, enquanto no balanço patrimonial são dispostos todos os saldos das contas contábeis dos bens e direitos da empresa, na Demonstração do Resultado do Exercício são apresentados os gastos e ganhos obtidos pela empresa no período determinado. Por meio da DRE é possível analisar se administração da empresa está controlando efetivamente os gastos de forma eficiente, e se o lucro gerado é compatível com o capital investido no empreendimento. Ou seja, a demonstração do resultado do exercício é responsável por mostrar a saúde financeira do negócio.

Por mais que a função da DRE pareça clara, muitos desconhecem sua real empregabilidade, estruturação e benefício. Separamos os principais benefícios que a Demonstração de Resultados do Exercício oferece para os negócios. São eles:

  1. Orienta na tomada de decisão com base no cenário financeiro atual da empresa
  2. Possibilita a correção de falhas administrativas e financeiras para alcançar os melhores resultados
  3. Possibilita o acesso a todos os detalhes sobre a situação financeira do negócio no período, facilitando o trabalho de investidores, bancos e governo;
  4. Possibilita a captação e conquista de investidores potenciais, por meio da apresentação dos resultados obtidos
  5. Ajuda a avaliar a eficácia da gestão, além de lucros e prejuízos.

Qual é o significado de DRE?

Na contabilidade, a sigla DRE significa: Demonstração do Resultado do Exercício. Ou seja, a DRE é uma ferramenta contábil onde é reproduzido o resumo financeiro dos resultados operacionais e não operacionais de uma empresa em dado período.

Em sua maioria, o período determinado corresponde ao ciclo anual de doze meses (janeiro a dezembro), como exercício financeiro da empresa. Para fins legais, é necessário apresentar uma DRE anual. Porém, as empresas podem realizar DREs mensais simplificadas para fins administrativos e DREs trimestrais para o monitoramento dos gastos fiscais.

A Demonstração do Resultado do Exercício é responsável pelo confronto dos indicadores de receitas, despesas, investimentos, custos e provisões apurados, evidenciando a formação do resultado líquido da empresa na ocasião.

Como fazer e estruturar uma DRE?

A estrutura, ordem das informações e os tópicos que devem ser discriminados na DRE, são definidas pela Lei das Sociedades por Ações (Lei nº 6.404/1976), em seu artigo 187, sendo assim, não há margem para alterações ou personalização de conteúdo. Desse modo, a Demonstração do Resultado do Exercício, nos termos da lei, deverá conter:

  • A receita bruta das vendas e serviços, as deduções das vendas, os abatimentos e os impostos;
  • A receita líquida das vendas e serviços, o custo das mercadorias e serviços vendidos, e o lucro bruto;
  • As despesas com as vendas, as despesas financeiras deduzidas das receitas, as despesas gerais e administrativas, e outras despesas operacionais;
  • O lucro ou prejuízo operacional, as outras receitas e as outras despesas;
  • O resultado do exercício antes do Imposto sobre a Renda e a provisão para o imposto;
  • As participações de debêntures, empregados, administradores e partes beneficiárias, mesmo na forma de instrumentos financeiros, e de instituições ou fundos de assistência ou previdência de empregados, que não se caracterizem como despesa;
  • O lucro ou prejuízo líquido do exercício e o seu montante por ação do capital social.

Como o Excel pode ajudar seu negócio

Todo empreendedor precisa de ferramentas que o auxiliem na organização de informações para uma gestão eficiente dos negócios. E isso vale para o plano financeiro. São tantos processos e operações, contas para pagar, controle de vendas e controle de estoque, concorrentes, fornecedores, distribuidores, mão de obra e, claro, as finanças.

Toda a gestão da área é voltada para manter o controle financeiro, afinal, sem gerir o fluxo de caixa, nenhum empreendimento consegue alcançar o sucesso. De início, para fazer um controle financeiro não é obrigatório que haja inúmeras ferramentas e investimentos, como muitas pessoas pensam.

O Excel, por exemplo, pode ser um ótimo aliado para este momento. Esta ferramenta tem como objetivo o desenho de planilhas eletrônicas que facilitam o dia a dia por meio de fórmulas e recursos para atualização diária, registros de informações e análise de dados. 

Funções úteis do Excel

Soma 

Certamente a função soma é uma das mais básicas do Excel, por uma operação comum aplicada em vários cenários, esta também é a mais utilizada. A soma pode ser fundamental no fluxo de caixa, por exemplo, controle de estoque, até para análises mais complexas.

Lembrando que o resultado desta operação pode ser positivo ou negativo, ou seja, ela pode mostrar se as contas fecharam no “vermelho” ou no “verde”.

Para sua aplicação, basicamente é necessário selecionar uma série de células – nome dado às partes da tabela – com valores numéricos. Estes precisam estar na mesma coluna, linha ou posição.

Calendário

Um calendário atualizado com eventos e ocorrências é fundamental para análise de cenários e extração de dados, que posteriormente podem ser utilizados em planejamentos estratégicos.

No Excel, dia, mês e ano são funções já estabelecidas, o que facilita a busca e a apuração de dados.

Essa função é extremamente útil para efetuar tarefas como:

  • Analisar fluxo de caixa;
  • Acompanhar horas extras e pagamentos de funcionários;
  • Validar a entrada e saída de produtos;
  • Organizar o estoque da empresa.

Funções financeiras

O crescimento de uma empresa depende de bons gestores, e por isso a administração precisa estar em constante desenvolvimento com o mercado tecnológico. Além de estar ciente da importância da análise de investimentos, é necessário ter visibilidade sobre a identificação das viabilidades financeiras e indicadores de informação.

O Valor Presente Líquido (VPL) é um ótimo parâmetro para isso. Ele busca definir um valor para pagamentos a serem feitos ou recebidos por uma empresa no futuro, contabilizando inclusive a taxa de juros. 

Outra função importante é o Payback. Ele mostra o tempo demandado para que um investimento retorne em lucro o valor investido.

O Retorno Sobre Investimento (ROI) é utilizado para analisar o retorno em relação aos investimentos próprios ou terceiros em determinado negócio.

O último, mas não menos importante, o TIR, acrônimo de Taxa Interna de Retorno, é uma taxa de desconto que deve ter em seu fluxo de caixa. 

SE

A tomada de decisão precisa ser precisa e ser baseada em dados, históricos e planejamento da jornada dos objetivos da empresa. No Excel, a fórmula SE realiza comparações entre um determinado valor e aquilo que você espera que ele seja, permitindo que você tome alguma decisão após esse teste. Dessa forma, as margens de erros são menores, o que mitiga perdas e prejuízos.

Funções E e OU

Essas funções são muito utilizadas em análise de planilhas, pois são comumente usadas na análise de dados para auxiliar na tomada de decisões.

A função E retorna o valor lógico verdadeiro se todos os seus argumentos foram verdadeiros. Já a função OU, retorna o valor lógico verdadeiro se ao menos um dos seus argumentos for verdadeiro.

Quando utilizados em conjunto, essas funções te ajudarão a automatizar a seleção de células estabelecidas por você, mostrando apenas o que você desejar. Se um departamento ou maquinário precisarem de reparos, por exemplo, você pode utilizar as funções como forma de otimizar o produto ou serviço, datando as possíveis falhas e valores.

Modelo de DRE: 14 passos utilizando o Excel

Desde 2007, a demonstração de resultado (DRE) é uma tarefa obrigatória para a maioria das empresas, pois ela também é um demonstrativo contábil de apresentação de impostos e taxas, evitando sonegação.

Para a gestão interna, a principal ideia é comparar receitas e despesas para projetar crescimento, custos, entre outros já citados.

A lei contábil exige a seguinte estrutura:

  • (-) Deduções e abatimentos
  • (=) Receita Líquida
  • (-) CPV (Custo de produtos vendidos) ou CMV (Custos de mercadorias vendidas)
  • (=) Lucro Bruto
  • (-) Despesas com Vendas
  • (-) Despesas Administrativas
  • (-) Despesas Financeiras
  • (=) Resultado Antes IRPJ CSLL
  • (-) Provisões IRPJ E CSLL
  • (=) Resultado Líquido.

Mas esta não é a única forma de realizar a DRE. Há modelos mais práticos e outros mais complexos, mas independentemente do método, ele precisa ser o mais detalhado possível.

Para pequenas empresas, ou empreendedores com pouca maturidade, seguir um modelo para elaborar um documento de DRE é uma estratégia inteligente. Este ponto de partida o ajudará a ter mais segurança em relação à operação, e, consequentemente, adequá-la melhor a sua realidade de acordo com o tempo.

Com isso apresentado, seguimos com um passo a passo de como fazer um modelo de DRE utilizando o Excel. Vamos lá?

1. Montar o cabeçalho 

Este é um momento de extrema importância para a estruturação da planilha, pois a partir dele que será definido as informações que serão inseridas.

É aqui que precisamos inserir em cada coluna os títulos devidos. As informações básicas que precisam conter na planilha da DRE são:

  • Data (na DRE é possível realizar o acompanhamento mensal);
  • Receita operacional bruta (venda de produtos, venda de mercadoria e prestação de serviços);
  • Deduções da receita bruta (devoluções de venda, abatimentos, impostos e contribuições incidentes sobre venda);
  • Receita operacional líquida; Custos das vendas (custo dos produtos vendidos, custo das mercadorias, custo dos serviços prestados);
  • Resultado operacional bruto;
  • Despesas operacionais (despesas com vendas, despesas administrativas);
  • Despesas financeiras líquidas (receita financeira, variações monetárias e cambiais ativas);
  • Outras receitas e despesas (custo de venda de bens e direitos do ativo não circulante);
  • Resultado operacional antes do IR e CSLL;
  • Provisão para a IR e CSLL;
  • Lucro líquido antes das participações;
  • PRO LABORE;
  • Resultado líquido do exercício.

Além dessas informações, é possível acrescentar as contas de acordo com as movimentações financeiras do negócio em questão.

2. Formatar as Colunas e adicionar Cores

Esse passo é muito rápido e simples!

É preciso formatar cada uma das linhas e colunas do Excel com o formato necessário. Desse modo, não será preciso repetir o processo na hora de inserir os dados na DRE.

Basta formatar as linhas e colunas de “Valor” como “Moeda”, a coluna “A” com formato “Geral”, e a linha de “Data” com formato de “Data Abreviada”.

Além disso, o Excel oferece uma variedade de cores, você pode escolher as que achar melhor.

É necessário colorir as colunas de:

  • Data; 
  • Receita operacional bruta; 
  • Deduções da receita bruta; 
  • Receita operacional líquida; 
  • Custos das vendas; 
  • Resultado operacional bruto; 
  • Despesas operacionais; 
  • Despesas financeiras líquidas; 
  • Outras receitas e despesas; 
  • Resultado operacional antes do IR e CSLL; 
  • Provisão para a IR e CSLL; 
  • Lucro líquido antes das participações; 
  • Resultado líquido do exercício. 

A coloração das linhas facilita a identificação das informações de destaque da DRE.

3. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Receita Operacional Bruta

Nos primeiros passos estruturamos a planilha, a partir do terceiro passo começaremos a criar e inserir as fórmulas no  Excel.

Para encontrar o total de “Receita operacional bruta”, basta escolher a função SOMA e selecionar todas as linhas referentes a receita (vendas de produtos, vendas de mercadorias e prestação de serviços). Como mostra o modelo na imagem abaixo:

4. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Deduções da Receita Bruta

Assim como no passo anterior, para encontrar o total de “Deduções da receita bruta”, basta escolher a função SOMA e selecionar todas as linhas referentes a receita (devoluções de vendas, abatimentos e impostos e contribuições incidentes sobre venda). Como mostra a imagem abaixo:

5. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Receita Operacional Líquida

Para encontrar o total de “Receita Operacional Líquida”, basta escolher a função SOMA e selecionar o total de “Receita operacional bruta” somando ao total de “Deduções da receita bruta”:

6. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Custos das Vendas

Para encontrar o total de “Custos das vendas”, é preciso escolher a função SOMA e selecionar todas as linhas referentes ao custo (custo dos produtos vendidos, custo das mercadorias e custo dos serviços prestados):

7. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Resultado Operacional Bruto

Para encontrar o total do “Resultado Operacional Bruto”, basta escolher a função SOMA e selecionar o total de “Receita operacional líquida” somando ao total de “Custos das vendas”:

8. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Despesas Operacionais

Para encontrar o total de “Despesas operacionais”, é preciso escolher a função SOMA e selecionar todas as linhas referentes às despesas (despesas com vendas e despesas administrativas):

9. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Despesas Financeiras Líquidas

Para encontrar o total de “Despesas financeiras Líquidas”, basta escolher a função SOMA e selecionar todas as linhas referentes às despesas (receita financeira e variações monetárias e cambiais ativas):

10. Criar e Inserir a Fórmula – Outras Receitas e Despesas

Como temos apenas uma conta referente a “Outras receitas e despesas”, para encontrar o total, basta inserir o sinal de igual e selecionar a célula referente a “custo de venda de bens e direitos do ativo não circulante”:

11. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Resultado Operacional antes do IR e CSLL

Para encontrar o total do “Resultado Operacional do IR e CSLL”, é preciso escolher a função SOMA e selecionar o total de “Resultado operacional bruto” somado ao total de “despesas operacionais”, “Despesas financeiras líquidas” e “Outras receitas e despesas”.

12. Criar e Inserir Fórmula – Provisão para IR e CSLL

Para encontrar o total de “Provisão para IR e CSLL”, basta selecionar a célula “Receita operacional Bruta” e multiplicar pelo IR, somando a célula “Receita operacional Bruta” multiplicada pelo CSLL”:

Para isso, é necessário inserir uma aba na planilha de DRE com a taxa referente aos impostos:

13. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Lucro Líquido antes das Participações

Para encontrar o total do “Lucro Líquido antes das Participações”, basta escolher a função SOMA e selecionar o total de “Resultado operacional antes do IR e CSLL” somando ao total de “Provisão para IR e CSLL”:

14. Criar e Inserir a Fórmula SOMA – Resultado Líquido do Exercício

Para encontrar o total do “Resultado líquido do exercício”, é preciso escolher a função SOMA e selecionar o total de “Lucro líquido antes das participações” somando ao total de “PRO LABORE”:

Se você seguiu todos os passos corretamente, a sua planilha de DRE está pronta! Agora, você só precisa fazer os lançamentos. Veja o modelo abaixo:

A DRE tem validade jurídica?

A DRE tem grande importância para os usuários externos. A Demonstração do Resultado do Exercício é um documento que só possui validade jurídica e financeira quando assinado por um profissional de contabilidade, legalmente habilitado pelo conselho regional de seu estado. Sem a assinatura de um contador, a demonstração passa a ser apenas um simples demonstrativo gerencial.

Automatize parte da sua DRE

A InfinitePay oferece ao pequeno empreendedor meios de pagamento, como maquininha de cartão e maquininha no celular, para que suas vendas fiquem todas organizadas em um só lugar. Com isso, todos os anos, emite uma DIRF (Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte), uma declaração com todas as vendas realizadas no período. Essa DIRF entra na receita bruta da sua DRE (o primeiro passo do modelo).

Todos os clientes InfinitePay possuem conta digital gratuita, com gestão de vendas, emissão de boletos e links de pagamento de forma gratuita e cobrança automática. Além de um cartão virtual com 1.5% de cashback! Confira mais aqui!

fique ligado

Assine nossa newsletter com conteúdo exclusivo.